fbpx

Secretaria da Saúde registra 168 casos de gripe A em Santa Catarina

Blog

Secretaria da Saúde registra 168 casos de gripe A em Santa Catarina

Informativo confirma 14 mortes ocasionadas por Influenza em 2013.
Dados revelam que Jaraguá do Sul teve o maior número de casos de gripe.

O último boletim epidemiológico estadual divulgado pela Secretaria de Saúde foi divulgado nesta sexta-feira (26) e traz o registro de 232 casos confirmados de gripe em Santa Catarina. A maioria está relacionada ao vírus Influenza A (H1N1), com 104 casos, seguido de Influenza A (H3N2), com 64 ocorrências, e de Influenza B, com 62 confirmações.

O boletim epidemiológico também traz a confirmação de mais quatro mortes pela doença em Santa Catarina. Os pacientes eram moradores de São Domingos e Chapecó, no Oeste, Joinville, no Norte, e Ponte Alta, na Serra. Do início do ano até agora, foram confirmadas 14 mortes de gripe por influenza, 13 pelo subtipo viral Influenza A (H1N1) e uma pelo Influenza B.

Os dados divulgados revelam que o município de Jaraguá do Sul, no Norte do estado, teve o maior número de registros de Influenza até o momento. Do total dos 37 casos confirmados na cidade, 23 são do vírus A (H1N1), 10 do vírus A (H3N2) e quatro relacionados ao Influenza B. O município de Joinville apresenta um total de 21 casos, dos quais 11 por A (H1N1), seis por A (H3N2) e quatro por Influenza B.

Na capital foram confirmados 13 casos, sendo 11 pelo vírus A (H1N1), um pelo vírus A (H3N2) e um pelo Influenza B. No Sul do Estado, a cidade de Criciúma teve 12 casos, 11 pelo Influenza B e um pelo vírus A (H1N1).

Tratamento tardio
Fábio Gaudenzi, diretor da Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive), informa que, de acordo com os prontuários dos pacientes, todos foram tratados com o antiviral Oseltamivir. No entanto, segundo ele, 11 iniciaram o tratamento tardiamente, após o quinto dia do início dos sintomas. “A orientação da Dive é que o tratamento seja iniciado preferencialmente nas primeiras 48 horas, tendo em vista que o antiviral é mais eficaz neste período”, esclarece Gaudenzi.

Grupos de risco foram vacinados com prioridade em SC (Foto: Reprodução / EPTV)
Maioria dos casos de óbito pertenciam a grupos
prioritários de vacinação (Foto: Reprodução / EPTV)
Prevenção
A onda de frio que se encontra em Santa Catarina aumenta as chances das pessoas contraírem doenças respiratórias, inclusive a gripe. A Dive alerta a população para que se proteja do frio e adote medidas de higiene importantes para a prevenção de doenças.

O gerente de Imunização da Dive, Eduardo Macário, explica que dez dos óbitos tinham algum fator de risco associado e as pessoas pertenciam a grupos prioritários para vacinação. “Destes, oito eram portadores de doenças crônicas ou fatores associados a agravamento, como pneumopatas, cardiopatas, imunodeprimidos, diabéticos, doentes renais crônicos e obesos, e dois eram idosos com idade superior a 60 anos. No entanto, apenas os dois idosos foram vacinados neste ano contra a influenza”, conclui Macário.

Post anterior
Gestantes foram as que menos tomaram vacina em Santa Catarina
Próximo post
CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV – ‘Quando eu me protejo, eu te protejo.’

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.
Menu